» Muro do Centro Cultural Casa 7 - Studio Travellero

Facebook Instagram

Muro do Centro Cultural Casa 7

Apelidado por nós de Primogênito, a parte direita deste mural – realizado na fachada do Centro Cultural Casa 7, foi nossa primeira pintura juntos. Ele traz consigo inúmeras referências da viagem que tínhamos acabado de fazer à Colômbia. Desde a cultura indígena bastante valorizada por lá, passando por locais de natureza exuberante e principalmente pelos trabalhos de arte urbana que pudemos contemplar em Bogotá, Medellín e Cartagena. A liberdade da pintura de rua por lá que em diversos momentos se afasta do graffiti nova-iorquino da década de 1970, como um dos quatro pilares do HIP HIP, foi bastante encorajadora para pintarmos murais. Apreciamos (e muito) o movimento estadunidense, mas nunca nos sentimos parte dele e apesar de nos identificarmos com sua estética, preferimos seguir outros caminhos, pois não nos sentimos seus representantes legítimos, não fazemos parte de sua história. Não nascemos no Brooklyn, não intervimos em trens na calada da madrugada e nem somos a correspondência dessa cultura em terra Brasilis, mas isso não impede que tenhamos alguns pontos de contato com os grafiteiros daqui ou de lá: o principal é a paixão por transformar com tinta. Aliás pincel e tinta. Aí está uma diferença enorme para o trabalho com spray, não que um seja melhor que o outro, mas cada um tem suas particularidades: somos mais lentos, mas conseguimos mais nuances, mais cores e isso traz uma complexidade geralmente atrelada a pintura de cavalete para a rua. A velocidade e o gesto são atributos necessários onde e quando a arte urbana é malvista. Historicamente à margem, os grafiteiros e pixadores que em NY-70’s eram a mesma coisa, visto que os graffitis eram caligrafias e eram chamados de writers (escritores). O valor do trabalho está mais na atitude Nesse sentido, aproximamo-nos mais dos muralistas mexicanos, mas também com uma série de diferenças conceituais dentre elas que não nos apegamos ao realismo para contar histórias revolucionárias.

Esse trabalho nos fez por os pés na seara contemporânea do neomuralismo, com espaço para influências distintas, multiculturais e sem restrições específicas relacionadas com movimentos de época. O momento inicial de uma linguagem que vem se modificando a cada dia e que não se restringe à muros e fachadas, sendo desenvolvida em vários meios.

Materiais utilizados:
Tinta acrílica e pigmentos

Dimensões:
3 x 11m

Data:
02/2016