» Mural do Cosme Velho - Studio Travellero

Facebook Instagram

Mural do Cosme Velho

Este muro localizado em frente ao Museu de Arte Naif, no bairro do Cosme Velho, já possuía um grafite previamente, mas sofreu com infiltrações e precisou ser reformado. A obra destruiu a maior parte da pintura que por baixo estava. Deixamos só o portão que resistiu intacto e pintamos o arco em volta. Isso é relevante, pois o portão entra como uma informação importante para pensarmos a pintura.

A rua do Cosme Velho onde está o mural passa sobre o que restou do Rio Carioca que cede seu nome àqueles que nasceram no Rio de Janeiro. A região é coberta pela mata da floresta da Tijuca que também sofre constantemente com desmatamento. Este trabalho carrega então um cunho político, mesmo que subliminarmente. São inúmeras pinturas corporais dos tupinambás sobrepostas e algumas referências a ocupação do sítio geográfico local. A forte relação dos índios com a natureza, entendendo-a não só como fonte de recursos, mas também como uma série de entidades é, por conseguinte, protetora do ponto de vista ambiental. Como no estado do Rio de Janeiro, as tribos foram praticamente dizimadas junto com a floresta, trouxemos sua arte ampliada nos muros de concreto que ajudaram a reduzir o rio a um cano subterrâneo. É a inscrição da pele do índio na pele da cidade, é um grito de resistência.

Optamos por uma série de contrastes e cores bem vívidas para chamar atenção para as geometrias indígenas e toda a questão citada anteriormente. A paleta se conecta também com a brasilidade do tropicalismo.

Materiais utilizados:
Tinta acrílica e pigmentos

Dimensões:
3m x 15m - aproximadamente

Data:
04/2017